DE VOLTA PARA O FUTURO

DE VOLTA PARA O FUTURO

Back to the Future é um filme norte-americano de 1985. Ele foi dirigido por Robert Zemeckis, escrito por Zemeckis e Bob Gale e estrelado por Michael J. Fox, Christopher Lloyd, Lea Thompson, Crispin Glover e Thomas F. Wilson. O filme conta a história de Marty McFly (Michael J. Fox), um adolescente que volta no tempo até 1955. Ele conhece seus futuros pais no colégio e acidentalmente faz sua futura mãe ficar romanticamente interessada por ele. Marty deve consertar o dano na história fazendo com que seus pais se apaixonem e, com a ajuda do Dr. Emmett Brown (Christopher Lloyd), encontrar um modo de voltar para 1985.

DE VOLTA PARA O FUTURO

Zemeckis e Gale escreveram um roteiro depois de Gale ter se perguntado se ele teria ficado amigo de seu pai se tivessem estudado juntos no colégio. Vários estúdios recusaram o roteiro até o sucesso financeiro de Romancing the Stone, filme dirigido por Zemeckis, com o projeto sendo pego pela Universal Pictures e por Steven Spielberg como produtor executivo.

DE VOLTA PARA O FUTURO

Eric Stoltz foi originalmente contratado para interpretar Marty McFly quando Michael J. Fox estava ocupado filmando a série de TV Family Ties. Entretanto, durante as filmagens, Stoltz e os cineastas concordaram que ele foi a escolha errada, então Fox recebeu uma nova proposta e ele conseguiu trabalhar em uma agenda que permitia se comprometer aos dois projetos; a subsequente mudança no elenco significou que a equipe deveria correr através das refilmagens e da pós-produção para completar o filme para sua estréia no dia 3 de julho de 1985. Quando lançado, Back to the Future se tornou o filme de maior sucesso do ano, arrecadando mais de US$ 380 milhões em bilheteria e recebendo aclamação pela crítica. Ele venceu o Hugo Award de Melhor Apresentação Dramática e o Saturn Award de Melhor Filme de Ficção Científica, como também indicações ao Oscar, ao Golden Globe e outros. Ronald Reagan até citou o filme em seu Discurso sobre o Estado da União em 1986.

DE VOLTA PARA O FUTURO

Em 2007, a Biblioteca do Congresso americano selecionou o filme para preservação no National Film Registry, e em junho de 2008 a American Film Institute o reconheceu como o 10º melhor filme de ficção científica americano. O filme marcou o início de uma franquia, com as sequências Back to the Future Part II e Back to the Future Part III sendo lançadas em 1989 e 1990, como também uma série de desenhos, um brinquedo de parque de diversões, vários jogos eletrônicos e uma peça de teatro musical.

DE VOLTA PARA O FUTURO

Michael J. Fox era a primeira escolha para interpretar Marty McFly, porém ele estava comprometido com a série de televisão Family Ties. O produtor de Family Ties, Gary David Goldberg, achava que Fox era essencial para o sucesso do programa. Com a co-estrela Meredith Baxter em licença maternidade, ele se recusou a dar um tempo extra a Fox para trabalhar no filme. Back to the Future estava originalmente agendado para estrear em maio de 1985, e era final de 1984 quando descobriu-se que Fox não estaria disponível. As duas próximas escolhas de Zemeckis eram C. Thomas Howell e Eric Stoltz, o último impressionou tanto os produtores com sua interpretação de Roy L. Dennis no filme Mask — que ainda não havia sido lançado — que eles o selecionaram para fazer Marty McFly. Devido ao difícil processo de seleção de elenco, a data de lançamento foi adiada duas vezes.

DE VOLTA PARA O FUTURO

Depois de quatro semanas de filmagens, Zemeckis determinou que a escolha de Stoltz havia sido um erro. Apesar dele e Spielberg terem percebido que refilmar o filme adicionaria mais US$ 3 milhões ao orçamento de US$ 14 milhões, eles decidiram reescalar o papel. Spielberg explicou que Zemeckis achou que Stoltz não era muito engraçado e que ele havia feito uma "incrível interpretação dramática". Gale foi além e explicou que, para ele, Stoltz estava simplesmente representando, enquanto Fox tinha uma personalidade como a de Marty McFly. Ele achou que Stoltz estava desconfortável ao andar de skate, enquanto Fox não. Stoltz confessou ao diretor Peter Bogdanovich durante um telefonema, duas semanas após o início das filmagens, que ele estava inseguro sobre a direção de Zemeckis e Gale, e concluiu que ele era a pessoa errada para o papel.

DE VOLTA PARA O FUTURO

A agenda de Fox se abriu em janeiro de 1985, quando Meredith Baxter retornou para Family Ties depois da licença maternidade. A equipe de Back to the Future se encontrou com Goldberg novamente, e fizeram um acordo em que a prioridade de Fox seria Family Ties, e que se um conflito de agendamento aparecesse, "nós vencemos". Fox amou o roteiro e ficou impressionado com a sensibilidade de Zemeckis e Gale ao tirarem Stoltz, porque mesmo assim eles "falaram muito bem dele". Per Welinder e Bob Schmelzer o auxiliaram nas sequências de skate; Fox achou que sua interpretação foi muito pessoal. "Tudo o que eu fazia no colegial era andar de skate, ir atrás de garotas e tocar em bandas. Eu até sonhei em me tornar um astro de rock".

DE VOLTA PARA O FUTURO

Christopher Lloyd foi escolhido como o Dr. Emmett Brown depois da primeira escolha, John Lithgow, ter ficado indisponível. Tendo trabalhado com Lloyd em The Adventures of Buckaroo Banzai Across the 8th Dimension, o produtor Neil Canton o sugeriu para o papel. Lloyd originalmente recusou o papel, porém mudou de ideia depois de ler o roteiro e de sua esposa ter persistido para ele aceitar o trabalho. Ele improvisou algumas de suas cenas, se inspirando em Albert Einstein e no maestro Leopold Stokowski. Brown pronuncia gigawatts como "jigowatts", que era a maneira que um físico pronunciou a palavra quando ele se encontrou com Zemeckis e Gale enquanto faziam pesquisa para o roteiro.

DE VOLTA PARA O FUTURO

Crispin Glover interpretou George McFly. Zemeckis disse que Glover improvisou muitos dos maneirismos nerds de George, como suas mãos tremulas. O diretor brincou que ele "estava o tempo todo jogando uma rede sobre Crispin porque ele estava completamente fora por volta de cinquenta por cento em sua interpretação do personagem". Devido a um desacordo de contrato, Glover foi substituído por Jeffrey Weissman em Part II e Part III.

DE VOLTA PARA O FUTURO

Lea Thompson foi escalada como Lorraine McFly porque ela havia atuado com Stoltz em The Wild Life. Sua maquiagem prostética para as cenas do início do filme, em 1985, levavam três horas e meia para serem aplicadas.

DE VOLTA PARA O FUTURO

Thomas F. Wilson foi selecionado para interpretar Biff Tannen porque a escolha original, J. J. Cohen, não foi considerado convincente na hora de atormentar Stoltz. Cohen foi reescalado como um dos membros da gangue de Biff. Se Fox tivesse sido escalado desde o início da produção, Cohen provavelmente teria ficado com o papel por ser muito mais alto que Fox.

DE VOLTA PARA O FUTURO

Lançamento Back to the Future estreou no dia 3 de julho de 1985 em 1.200 salas na América do Norte. Zemeckis estava preocupado que o filme seria um fracasso por Fox estar gravando um especial de Family Ties em Londres e não estava disponível para promover o filme. Gale também estava insatisfeito com a tagline criada pela Universal: "Você está me dizendo que minha mãe tem tesão por mim?". Mesmo assim, Back to the Future passou 11 semanas como número um nas bilheterias. Gale lembra "Nossa segunda semana foi melhor que a primeira, o que indica um excelente boca a boca. National Lampoon's European Vacation veio em agosto e nos tirou da primeira posição por uma semana e depois nós voltamos para o número um". O filme acabou arrecadando US$ 210.609.762 na América do Norte e US$ 170.500.000 em outros territórios, acumulando um total mundial de US$ 381.109.762.[2] Back to the Future teve o quarto melhor fim de semana de estreia de 1985, e foi o filme de maior arrecadação do ano. O filme recebeu um re-lançamento especial de 25 anos nos Estados Unidos e no Reino Unido em outubro de 2010 para coincidir com o lançamento em Blu-ray e DVD de 25 anos da Universal Studios Home Video. Para o re-lançamento, Back to the Future foi restaurado e remasterizado.

DE VOLTA PARA O FUTURO

O Presidente Ronald Reagan, um fã do filme, se referiu a ele em seu Discurso sobre o Estado da União de 1986, dizendo "Nunca houve um período mais excitante para se viver, um período de maravilhas estimulantes e realizações heroicas. Como eles dizem no filme Back to the Future, 'Para onde vamos, não precisamos de estradas'".[37] Quando ele viu pela primeira vez a piada sobre ele ser o Presidente dos Estados Unidos, Reagan fez o projecionista do cinema parar o filme, rebobiná-lo, e exibir a cena novamente.

DE VOLTA PARA O FUTURO

Alan Silvestri havia colaborado com Zemeckis em Romancing the Stone, porém Spielberg ficou insatisfeito com sua trilha inicial para Back to the Future. Zemeckis aconselhou que Silvestri fizesse com que suas composições fossem grandes e épicas, apesar da pequena escala do filme, para impressionar Spielberg. Silvestri começou a retrabalhar sua trilha duas semanas antes da primeira pré-estréia. Ele também sugeriu que Huey Lewis and the News criasse uma canção tema. A primeira tentativa da banda foi rejeitada pela Universal, antes deles gravarem "The Power of Love". O estúdio adorou a canção final, porém ficou desapontado que a letra não tinha o título do filme, então eles enviaram memorandos para as estações de rádio sempre mencionarem a associação com Back to the Future. No final, a faixa "Back in Time" apareceu no filme, tocada quando Marty acorda depois de retornar de 1955, e mais tarde durante os créditos finais. Huey Lewis faz uma ponta no filme como o professor escolar que rejeita a banda de Marty por tocarem muito alto.

DE VOLTA PARA O FUTURO

Apesar de parecer que Michael J. Fox está realmente tocando uma guitarra, o supervisor musical Bones Howe contratou o professor de guitarra e músico Paul Hanson para ensinar Fox como simular todas as suas partes e fazer com que tudo parecesse realista, incluindo tocar com a guitarra atrás da cabeça. O músico veterano Tim May tocou as verdadeiras partes da guitarra com Mark Campbell fazendo o trabalho vocal em "Johnny B. Goode", com Hanson tocando a seção do começo do filme durante a cena com os testes para bandas.

DE VOLTA PARA O FUTURO

O lançamento original de 1985 do álbum oficial da trilha sonora incluía apenas duas faixas das composições de Silvestri para o filme, ambas as faixas de Huey Lewis, as canções tocadas pelo Marvin Berry and The Starlighters (e Marty McFly), uma das canções da década de 1950 do filme, e duas canções pop que apareceram brevemente no/ao fundo. Em 24 de novembro de 2009, uma edição autorizada, e limitada, de 2 CDs contendo a trilha sonora completa de Silvestri, e algumas versões alternativas não usadas, foi lançada pela Intrada Records.


    Back to the Future Official Teaser Trailer #1 - Christopher Lloyd Movie (1985) HD

                     Back To The Future (1985) Theatrical Trailer - Michael J. Fox Movie HD



Comentários