MANUAL DO ESCOTEIRO MIRIM (EDITORA ABRIL)

MANUAL DO ESCOTEIRO MIRIM (EDITORA ABRIL)

O Manual do Escoteiro-Mirim, versão brasileira do Manuale delle Giovani Marmotte, é um livro infantil lançado originalmente pela Editora Abril em 13 de julho de 1971. Livremente inspirado no fictício Manual do Escoteiro-Mirim usado por Huguinho, Zezinho e Luisinho nos quadrinhos Disney, o Manual reúne informações de interesse da criança sobre uma ampla gama de assuntos. Alguns exemplos: dicas de fotografia, cuidados com animais de estimação, acampamentos, leitura de mapas, trabalhos manuais, identificação de estrelas, filatelia, piratas famosos, moedas históricas.
MANUAL DO ESCOTEIRO MIRIM (EDITORA ABRIL)
O sucesso do Manual do Escoteiro-Mirim deu origem a duas reedições (1971 e 1978) e à série brasileira de manuais Disney, começando pelo Manual do Tio Patinhas (1972). Teve uma seqüência também baseada no original italiano, o 2º Manual do Escoteiro-Mirim (1976). A edição de 1978 foi a primeira da série clássica dos manuais Disney publicada em brochura. A maior parte do conteúdo do Manual do Escoteiro-Mirim foi aproveitada no Supermanual do Escoteiro-Mirim na Biblioteca do Escoteiro-Mirim e na coleção Manuais Disney (Nova Cultural).
MANUAL DO ESCOTEIRO MIRIM (EDITORA ABRIL)
O SEGUNDO MANUAL DO ESCOTEIRO MIRIM O 2º Manual do Escoteiro-Mirim é um livro infantil editado pela Abril em 1976. É uma seqüência do Manual do Escoteiro-Mirim (1971) com material inédito, mas seguindo o modelo de informações variadas de interesse da criança. A obra não foi reeditada, mas a maior parte de seu conteúdo foi reaproveitado no Supermanual do Escoteiro-Mirim, na Biblioteca do Escoteiro-Mirim e na coleção Manuais Disney (Nova Cultural). As ilustrações de Giovan Battista Carpi têm um estilo distintamente mais ágil e contemporâneo em relação ao Manual do Escoteiro-Mirim original. Em face da crítica freqüente à falta de adequação do conteúdo ao leitor brasileiro, o 2º Manual passou por um extenso processo de regionalização de texto e arte nos artigos aplicáveis. Em particular, as seções sobre árvores, aves e peixes ornamentais se referem a espécies brasileiras.
MANUAL DO ESCOTEIRO MIRIM (EDITORA ABRIL)
Relativamente a outros manuais Disney brasileiros, exemplares do 2º Manual são muito escassos atualmente. São valorizados pelos entusiastas por seus elementos singulares, como a lista de peixes ornamentais (diferente da publicada no Supermanual do Escoteiro-Mirim) e o resumo do I Ching no encerramento da obra. Em 1976 referências ao I Ching eram pouco comuns em publicações não-especializadas e virtualmente inexistentes em livros infantis, o que ressalta o pioneirismo do 2º Manual. O artigo do I Ching nunca mais seria republicado.

> >

Comentários

  1. Eu também vivi a vida em 1970s, 1980s e 1990s. Período maravilhoso! Na década de 1970, adorava a leitura dos Manuais Disney. Mas, como muitas crianças brasileiras, enfrentava a falta de dinheiro. Só comprei, na ocasião de seus respectivos lançamentos, o Manual do Escoteiro Mirim (jul 1971) e Manual do Tio Patinhas (maio 1972). Vi os outros lançamentos, no anos subsequentes, louco de vontade de adquiri-los, mas sem os recursos para tal.

    As coisas são assim. Não se pode ter tudo. Agora, a Editora Abril está relançando os Manuais. Uma ótima iniciativa: prover os saudosistas (hoje adultos de meia-idade, cinquentões, sessentões) destas verdadeiras raridades. Mas faço aqui uma ressalva. Estou francamente decepcionado com a qualidade das cores das ilustrações do Manual do Escoteiro Mirim relançado. Não tem a beleza das cores dos Manuais originais! Um alerta para a Abril Jovem sanar a falha nos próximos Manuais da coleção à serem relançados.

    Boa sorte à equipe de redação Abril Jovem responsável pelos relançamentos.

    ResponderExcluir

Postar um comentário