CAMINHÕES DODGE

CAMINHÕES DODGE

A propaganda dos primeiros caminhões Dodge, fabricados no Brasil pela Chrysler, em 1969, não era nada modesta. Dizia: “O Dodge 700 é para ser carregado com peso pesado e não apenas volume. Para uso na cidade e na estrada, em operação contínua ou semicontínua. Ele tem obrigação de ser forte”. Mas também não era enganosa.
CAMINHÕES DODGE
O anúncio oferecia um caminhão com chassi e suspensão reforçados, motor potente e robusto conjunto de transmissão, qualidades que definiam sua melhor vocação: operações agroindustriais e trabalhos pesados fora-de-estrada. O motor V8 de 196 hp, que equipou os primeiros Dodge D700, era forte e confiável. Mas, como era à gasolina, tornou-se um problema quando o preço do petróleo triplicou, no início dos anos 70. Logo surgiu o modelo P700, equipado com motor Perkins diesel, menos potente porém bem mais econômico.
CAMINHÕES DODGE
Em seguida, vieram os modelos D900 e P900, mais robustos ainda, com rodas raiadas e PBCT de 22,5 t com 3º eixo. Em 1974, a fábrica começou a usar os motores MWM, quando foi lançado o D950, sem dúvida o mais prestigiado dos caminhões da linha, até hoje muito cobiçado no mercado de usados. O motorzão de seis cilindros e injeção direta “casou” perfeitamente com a transmissão Tinkem, muito confiável, e eficientes freios a ar cumpriam bem a tarefa de segurar o bruto. ÁLCOOL – Mesmo antes do desenvolvimento da indústria canavieira para a produção de álcool combustível no final dos anos 70, os veículos preferidos para o trabalho nas lavouras de cana-de-açúcar eram os Dodge. Eles tracionavam muito bem as cargas volumosas no ambiente hostil das lavouras de cana, com seus carreadores precários – quando havia carreador. O D950S, lançado em 1978 com tração 6x4, era um expoente: enfrentava caminhos onde somente tratores se atreviam a entrar.
CAMINHÕES DODGE
Os caminhões Dodge chegaram a ser produzidos com motores a álcool, mas não se mostraram muito econômicos e a maioria teve os motores substituídos, antecipando o que hoje é regra: o caminho entre a plantação de cana até o tanque dos carros a álcool é feito com diesel! Já sob o comando da Volkswagen, que havia comprado a Chrysler brasileira, os “Dojões” – como eram conhecidos – foram rebatizados como E11, E13 e E21, e tiveram sua produção encerrada em 1983.
CAMINHÕES DODGE
Muitos Dodge com 30 anos ou mais continuam no trabalho pesado. É comum encontrá-los carregados de cana pelas estradas, dividindo tarefas com modelos mais modernos e muito mais caros. FONTE: CARGAPESADA.COM.BR







Comentários